Número total de visualizações de página

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Casas destruídas na Cruz Quebrada







João Miguel Rodrigues\ Janeiro 2010


Anália Oliveira, Cabo-Verdeana radicada em Portugal à mais de 30 anos, que viu esta semana a força do mar destruir-lhe a pequena barraca encostada à estação de comboios da Cruz Quebrada, procura no entulho os seus poucos haveres. Aos 69 anos, Anália ficou sem nada mas está a viver com uma pessoa amiga, até a Segurança Social e a Câmara de Oeiras resolverem o problema, bem como aos seus vizinhos que moravam nas barracas ao lado.